Lugares da Memória

Caminhos do Mar sobre uma motocicleta

Com a autorização do Horto Florestal, responsável pelo Parque Caminhos do Mar, foi possível percorrer a Estrada Velha de Santos com a motocicleta, registrando um olhar e a vivencia de percorrer o mesmo caminho, estar nos mesmos lugares onde muito de nossos antepassados estiveram contribuindo com nossa história e memorias.

Assista ao vídeo

Poema "do porto ao planalto, o choque", da poeta Dalila Teles Veras, interpretado por Mauricio Mascarenhas. Imagens de Maura de Andrade, edição de Mauricio Mascarenhas.

do porto ao planalto, o choque

                                           Se vens a uma terra estranha / curva-te

                                                                                                             Orides Fontela

íngremes e largos

os longos caminhos

vindos do mar (os mesmos

já outros) rumo ao

planalto - a terra nova

             (estranheza)

destino incerto e final

 

galgada a serra

(o mar fora da vista)

a metrópole

(o mar apenas lembrança)

velocidade e vertigem

(o concreto como horizonte)

 

desaprender

(premência menina)

para aprender a

(o preço da aceitação)

curvar-se

(cidadania inaugural)

Poema de Dalila Teles Veras

Caminhos do Mar

A região do “Polo Ecoturístico Caminhos do Mar”, possui uma série de características e atrativos que o coloca como um dos mais importantes polos turísticos do estado de São Paulo.

A beleza da região, enriquecida pelo patrimônio histórico, associada à biodiversidade da mata atlântica, dos rios, das quedas d’água, da flora, da fauna e de áreas protegidas em ótimo estado de conservação, colaboram para o aproveitamento ecológico e consciente do espaço.

Também conhecida por Estrada Velha do Mar, Estrada Velha de Santos e Estrada da Maioridade, que recebeu essa denominação em alusão à emancipação de D. Pedro II. Sobre o leito dessa estrada foi construído, em 1917, o Caminho do Mar, obra que recebeu a primeira pavimentação em concreto da América Latina, possibilitando o tráfego de automóveis, ônibus e caminhões entre São Paulo e Santos.

Fechada para veículos em 1985, tornou-se destino turístico para passeios a pé e cerca de vinte anos depois, esteve em manutenção entre 2011 e fim de 2013, por conta de deslizamentos de terra. Foi necessário uma autorização especial do órgão responsável pelo parque, o Instituto Florestal, para podermos fazer o caminho sobre a motocicleta.

 

O percurso é marcado por monumentos históricos, fauna e flora local, belezas naturais e mirantes com vistas exuberantes da baixada santista e também da Usina Hidrelétrica de Henry Borden.

Sobre a história dos caminhos que existiram entre o litoral e o planalto pode ser encontrado na página -http://www.novomilenio.inf.br/santos/h0102a.htm

 

FICHA TÉCNICA

Nome: POLO ECOTURÍSTICO CAMINHOS DO MAR

Municípios abrangidos: São Bernardo do Campo e Cubatão

Sentidos: São Bernardo – Cubatão / Cubatão – São Bernardo

Distância do percurso: 16 quilômetros (ida e volta)

Funcionamento: terça a domingo
Horário: ENTRADA às 9 horas (tolerância de entrada até às 9h30) e SAÍDA nos portais até as 16 horas. 
 
Agendamento de visita (obrigatório): Pelo telefone (11) 2997-5026. 

Atrativos do percurso são os monumentos construídos para celebração do centenário da Independência do Brasil em 1922, pelo então governador de São Paulo Washington Luis.

Pouso Paranapiacaba - Quilômetro 44 - Traduzido da língua tupi, "Paranapiacaba" quer dizer "Lugar do qual se vê o mar" (paranã, mar + epîaka + aba, lugar).[4] Em dias limpos e sem neblina (situação difícil de se encontrar na serra), realmente dá para se ver o mar, bem longe. Fica bem no alto da serra antes de começar as grandes curvas, mas já na descida da serra. 

Belvedere Circular e Calçada do Lorena - Quilômetro 46 - Marca o primeiro encontro da Calçada do Lorena com a estrada, que ao todo são 3 encontros. A Calçada do Lorena foi uma estrada construída em 1789 para ligar o litoral à capital paulista e utilizada por D. Pedro I para ir de Santos às margens do rio Ipiranga proclamar a Independência do Brasil em 7 de setembro de 1822. O Belvedere Circular realmente apresenta uma forma circular. A Calçada do Lorena normalmente é usada a partir deste ponto em excursões para o pólo eco turístico, que se faz a pé, sendo que os turistas entram pela calçada neste ponto e saem no próximo encontro com a estrada.

Rancho da Maioridade - Quilômetro 47 - Feito para servir de descanso aos turistas, assim como o Pouso Paranapiacaba, ganhou esta nome em homenagem à Estrada da Maioridade. Neste ponto, também havia uma bica para pôr água nos radiadores e para as pessoas beberem.

Padrão do Lorena - Quilômetro 47,2 - Marca o terceiro e último encontro entre a calçada e a estrada. Tem o nome em homenagem à Bernardo José Maria de Lorena, governador da capitania de São Paulo, que mandou construir a calçada, que ganhou o seu nome. O trecho em frente a esse monumento foi preservado com macadame, isto é, macadamizado. É o único trecho da estrada com esta condição. Depois do padrão, há um longo trecho sem nenhum monumento.

Pontilhão da Raiz da Serra - Quilômetro 52 - O último monumento, já na planície, após o fim da serra. Foi construído junto com o fim da pavimentação com asfalto da estrada, com o propósito de homenageá-la. Não é de fato uma ponte, mas somente as "paredes" da ponte fincada no chão. Antes, passava, por ali, um rio, desviado para a construção da refinaria em Cubatão. Além desses monumentos, durante a estrada toda é possível encontrar mirantes.

Cruzeiro Quinhentista e Monumento do Pico não foram apresentados a nós

Pontilhão da Raiz da Serra
Pontilhão da Raiz da Serra

em Cubatão

press to zoom
Pontilhão da Raiz da Serra
Pontilhão da Raiz da Serra
press to zoom
Pontilhão da Raiz da Serra
Pontilhão da Raiz da Serra
press to zoom
Pontilhão da Raiz da Serra
Pontilhão da Raiz da Serra
press to zoom
Pontilhão da Raiz da Serra
Pontilhão da Raiz da Serra
press to zoom
Pontilhão da Raiz da Serra
Pontilhão da Raiz da Serra
press to zoom
Pontilhão da Raiz da Serra
Pontilhão da Raiz da Serra
press to zoom
Pontilhão da Raiz da Serra
Pontilhão da Raiz da Serra
press to zoom
Pontilhão da Raiz da Serra
Pontilhão da Raiz da Serra
press to zoom
Pontilhão da Raiz da Serra
Pontilhão da Raiz da Serra
press to zoom
Pontilhão da Raiz da Serra
Pontilhão da Raiz da Serra
press to zoom
Pontilhão da Raiz da Serra
Pontilhão da Raiz da Serra
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
motos e a casa de maquinas
motos e a casa de maquinas
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
Belvedere circular
Belvedere circular
press to zoom
Belvedere circular
Belvedere circular
press to zoom
P1010126
P1010126
press to zoom
vista do Belvedere
vista do Belvedere

preparando-se para caminhar pela Calçada do Lorena

press to zoom
Calçada do Lorena
Calçada do Lorena
press to zoom
Calçada do Lorena
Calçada do Lorena
press to zoom
Calçada do Lorena
Calçada do Lorena
press to zoom
Calçada do Lorena
Calçada do Lorena
press to zoom